Escapes para 2012 ( posições, perdas e ganhos )

As novas regras para a temporada de 2012 proíbem os escapes de difusores soprados
Sendo assim as saídas de escapes serão localizadas na parte de cima do final das laterais do F1, e não mais no assoalho apontadas para o difusor.
E o fluxo de gases soprados pelo escape não poderão mais tocar quaisquer partes da carenagem do carro, promovendo assim algum ganho aerodinâmico.
Isso faz com que o fluxo de gases dos escapes sejam soprados em algumas poucas direções preestabelecidas permitidas pelo regulamento, as quais as equipes provavelmente explorarão em seus carros de 2012. 
A seguir veja algumas das prováveis posições, e os teóricos ganhos e perdas no projeto:
1- Fluxo dos escapes apontado para o vão (vazio) da asa traseira.
ganho: Neutro, apenas acelera o ar pelo vão da asa traseira cumprindo regulamento.
perda:  Neutra 
2- Fluxo dos escapes ligeiramente apontado para cima e para os cantos, sob a base do aerofólio superior da asa traseira.
ganho: acelera o ar sob a asa causando baixa pressão aumentado o donwforce na traseira.
perda:  provoca mais vórtices na base dos cantos superiores das asas traseiras causando aumento de arrasto. 
3- Fluxo dos escapes ligeiramente apontados para cima e para o centro, sob a base do aerofólio superior da asa traseira.
ganho: acelera o ar sob o centro da asa traseira causando baixa pressão aumentado o donwforce na traseira.
perda:  vórtices e arrasto (reduzidos). 

4- Fluxo dos escapes apontados para fora da asa traseira, entre a lateral da asa e a roda traseira sobre as aletas dos dutos de freio.
ganho: ainda que seja uma área pequena, promove aumento de donwforce diretamente sobre as rodas traseiras.
perda:  vórtices e arrasto (reduzidos). 
Então ( baseado no item 4 ) criei o projeto:




ALETAS CÔNICAS 
 
( algo semelhante que use praticamente o mesmo princípio aerodinâmico, provavelmente será visto nos carros F1 em 2012 ).
O que são?
São tubos cônicos curvados em formato de aerofólio, com cortes laterais que circundam o tubo.  Ficam posicionados juntamente com os dutos dos freios das rodas traseiras.
Como funcionam:
Devido ao formato de aerofólio tubular cônico, o fluxo de gases soprados dos escapes (apontados para entre as laterais da asa e rodas traseiras) passam por dentro das aletas cônicas, geram donwforce na curva e saem ESTÁVEIS ( sem girar devido aos cortes no tubo ). E como estão apontados para cima, quase tocando o topo da borda da asa traseira, promovem ainda mais baixa pressão, evitando os outros vórtices comuns que ocorrem nesta área. 



















No novo modelo de aletas cone o ar sai estável, sem criar arrasto.
 Quais os ganhos desse projeto?
Continuar aproveitando o fluxo de gases dos escapes para criar o máximo de donwforce possível diretamente sobre as rodas traseiras, gerando praticamente nenhum arrasto.  
É uma área estreita, mas qualquer downforce que esse dispositivo gerar já será um grande ganho perante a perda total do uso dos escapes como elementos aerodinâmicos.
  
Mas não será proibido usar os escapes para ganho aerodinâmico em 2012?
 
Sim, será se os gases tocarem quaisquer partes da carroceria. E ai é que está o Pulo do Gato deste projeto: a FIA (obviamente) não considera suspensão e rodas como carroceria, sendo assim quaisquer dispositivos aerodinâmicos que usem de alguma forma os escapes principamente no vão entre as laterais da asa e roda traseira, são legais ( ou seja, BRECHA NO REGULAMENTO ).


Por tanto podem esperar por dispositivos interessantes nesta parte dos F1 para  2012.                                        


Criador deste projeto:  Ubiratan Bizarro Costa ( designer industrial )


contato@bizarrodesign.com.br


                

Comentários

VEJA TAMBÉM:

Reunião com Charlie Whiting FIA Interlagos 2017

A teoria do possível "segredo" da asa traseira da Ferrari

COCKPIT F1 BD

O ACIDENTE DE MASSA E A MORTE DE AYRTON SENNA PODERIAM TER SIDO EVITADOS COM O USO DO PCP?

Design de Protetores de cockpit tipo ESCUDO

PCP TARGA