Dispositivo DBT - pode ser implantado para 2012 /13 ?

Dispositivo DBT.
 


Um carro de F1 produz vários tipos de energia, e o Kers por exemplo usa uma dessas fontes que seria a energia cinética dos freios para produzir eletricidade e aumentar a potência do motor ( complexo e incrível....)


E uma fonte de energia explorada pelos designer e engenheiros da F1, é a energia térmica . 


Então criei o DBT, DIFUSOR DE BOMBEAMENTO TÉRMICO, onde abordo outras formas de uso e manipulação do CALOR para uso em dispositivos aerodinâmicos de um  F1. 


Como funciona:


O ar entra por uma pequena abertura no topo da entrada de ar do motor, vai para uma Câmara fechada dotada com um diafragma flexível, acionada por "princípio" de um motor de Stirling.

Com o calor irradiado do motor e componentes internos do F1, o diafragma flexível bombeia em alta velocidade, empurrando e pressurizando o ar nos dutos de saída que o ejeta "acelerado', diretamente sob o difusor.

Sendo assim esse sistema se torna uma espécie de "bomba ejetora de ar" para o difusor, substituindo em parte, os escapes soprados.

( nesta versão o DBT é somado a um sistema de entrada de ar para o difusor baseado no sistema usado nos carros atuais da RBR - vide minha postagem de 03 Nov / 11).

                             ( esquema "básico" em corte de funcionamento do dispositivo DBT ).





Qual a vantagem?


Com a proibição para 2012 dos difusores soprados pelos escapes, esse sistema vem compensar essa perda, mantendo parte do ar que era acelerado sob o difusor, continuando assim a ainda gerar "algum" downforce sobre ele. E por serem totalmente embutidos sob a carenagem do F1, os mesmos não afetam a aerodinâmica, causam arrasto, etc. 



Mas difusor soprado não será proibido?


Para 2012 os difusores não poderão ser mais soprados "pelos gases quentes dos escapes", os quais terão suas saídas posicionadas acima dos sidepods. Mas como o próprio Ros Brawn já comentou, ainda assim existirão formas de soprar o difusor aproveitando brechas no regulamento. 

E ai está um exemplo de dispositivo que pode explorar as brechas.

Esse sistema não tem nada a ver com os escapes, nem usa sistemas eletrônicos, mapeamento de motores, etc. É operado totalmente pelo calor interno irradiado dos componentes do F1. É simples, prático, e teoricamente "legal".





É loucura, quem disse que isso funciona?
É a mais pura física.
Já ouviu falar do "motor Stirling"?
O princípio é praticamente o mesmo que bombeia o ar acelerado nos dutos até sob o difusor gerando downforce ( como nos atuais difusores soprados pelos gases dos escapes ). 



Conclusão:
Desenvolver esse sistema térmico para ganho de downforce é infinitamente mais simples que criar, projetar e construir um KERS por exemplo, o qual quando se falava nele todos achavam incrível e quase impossível, e no entanto está ai no grid desde 2009.
Os engenheiros estão lá para isso, refinarem as idéias até tornarem os sistemas viáveis.


Então quem sabe o difusor de bombeamento térmico também não surja para as próximas temporadas.
Em se tratando de F1 não duvido de nada......


Autor desse projeto: Ubiratan Bizarro Costa. - designer industrial automobilístico.
@biradesigner2

Comentários

VEJA TAMBÉM:

O ACIDENTE DE MASSA E A MORTE DE AYRTON SENNA PODERIAM TER SIDO EVITADOS COM O USO DO PCP?

MONOFORMULA BK

COMO FUNCIONA O ESCAPE COANDA

FUNCIONAMENTO BANCO DE MACACO

Design de Protetores de cockpit tipo ESCUDO

COCKPIT F1 BD