Detalhes técnicos INTERNOS do novo sistema de suspensão inovadores da Lotus Renault ( e outra abordagem criada de dispositivo semelhante ).

Muito se fala atualmete desse novo aparato da Lotus para 2012, mas pouco se mostrou dos detalhes mais técnicos e aprofundados sobre ele.
Então veja (resumidamente) como é por dentro e como funciona esse novo sistema. Conheça nas ilustrações "básicas" do projeto, alguns exemplos dos componentes do dispositivo. 



Quando o piloto freia, o bico do F1 desce e quando acelera o bico levanta. Isso faz com que a altura da asa dianteira fique oscilando em relação a pista, atrapalhando a aerodinâmica geral do carro. É o que toda equipe de F1 a anos tenta controlar ao máximo em seus carros.


Para evitar isso, os engenheiros da Lotus Renault deram um passo a frente e desenvolveram um sistema intereligado a sua suspensão, até agora "legal", que consiste de um "amortecedor dinâmico de massa", parecido com o que se usa em prédios e pontes para minimizar as oscilações. Já haviam usado algo assim no passado mas o projeto daquele sistema foi considerado ilegal na época. 


Então quando se freia e o bico do F1 abaixa, os braços da suspensão ligados aos amortecedores abrem acionando um eixo ( verde ) com fuso que gira a massa ( vermelha ) criando uma força contrária para cima.


E quando se acelera, o bico do F1 levanta fechando os braços da suspensão, acionando o eixo fuso ( verde ) que gira a massa ( vermelha ) em sentido contrário forçando o bico para baixo.


Ilustração 1 modelo mecânico simplificado da Lotus Renault )  Amarelo: rolamentos - Verde: Eixo em fuso - Vermelho: massa giratória - Cinza: capa protetora em formato que lembra um amortecedor comum ( para camuflagem ) Azul: links para os braços da suspensão.( ilustração técnica de Bira ).


Sendo assim, esse sistema de acelerador dinâmico de massa tem como principal objetivo minimizar as oscilações mantendo a altura da asa dianteira do F1 o mais estável possível, sempre na melhor medida de ganho aerodinâmico para o assoalho como um todo.    


Mas não é só isso que esse AMORTECEDOR DINÂMICO DE MASSA  beneficia no desempenho da Lotus Renaut, o que poucos sabem, além dos engenheiros, é que ele também minimiza o efeito mola característico dos pneus de perfil alto, padrão em um F1.


Reduzindo as oscilações tipo mola, os pneus, em conjunto, passam a ficar mais tempo em contato com a pista oferecendo melhor aderência e desempenho geral a cada volta. 


Simples e engenhoso não....?




Mas o que pode surgir nessa linha para 2012 nas outras equipes?


baseado nessa idéia, em um momento de exercício de criatividade, se eu fosse o designer técnico ou engenheiro de outra equipe, o que eu faria para também ter tal ganho de desempenho em minha equipe?


Sendo assim, acabei desenvolvendo outro modelo de acelerador dinâmico de massa que mantém as funções parecidas, mas com um detalhe a mais.


No projeto para minha equipe ( fictícia ), cuidei para que esse efeito de minimizar as oscilações fossem, não só para toda a frente do F1 ( como na Lotus Renault ), mas sensivelmente e individualmente para "cada roda".


Como é isso?


No modelo da Lotus Renault, as rodas trabalham em um conjunto único, interligadas entre si ( por uma única massa central giratória - vermelha ) absorvendo as oscilações da pista como um todo.


Em minha proposta, desenvolvi um amortecedor dinâmico de massa tipo DOMUS ( vide ilustração abaixo ) que na verdade são 2 amortecedores dentro de um ( 2 massas giratórias em domus - laranja ). Ou seja, um para cada roda do F1 trabalhando independentemente e também em conjunto como um todo.




 Ilustração 2 modelo DOMUS de minha criação )  Amarelo: eixo pinhão - Verde: Eixo em fuso - Laranja: massa domus giratória  - Vermelho: chassi de fixação - Cinza: capa protetora em formato que lembra um amortecedor comum ( camuflagem ) Azul: links para os braços da suspensão ( ilustração técnica de Bira ).



Mas qual o ganho?


Tudo continua funcionando em conjunto mantendo o bico e asa dianterira do F1 estáveis ( como no modelo da Lotus Renault ).
Mas no caso da roda direita pegar uma zebra por exemplo, o amortecedor de massa sendo individual vai trabalhar com maior intensidade só nela absorvendo com maior força a oscilação do lado direito, e menos na roda do lado esquerdo ( que não está oscilando tanto ). Sendo assim, nesse modelo a absorção das oscilações fica mais sensível e "precisa" para cada roda, aumentando ainda mais o desempenho geral da frente, e aderência dos pneus do F1.


Claro que tudo isso em teoria, pois teria que testar todo o conceito pra sentir seu real ganho. Mas como ainda não se paga imposto pra pensar, fica ai a idéia de projeto.


Autor das ilustrações e 2º projeto Domus : Ubiratan Bizarro Costa 
Designer Industrial automobilístico


contato@bizarrodesign.com.br



Comentários

VEJA TAMBÉM:

O ACIDENTE DE MASSA E A MORTE DE AYRTON SENNA PODERIAM TER SIDO EVITADOS COM O USO DO PCP?

MONOFORMULA BK

COMO FUNCIONA O ESCAPE COANDA

FUNCIONAMENTO BANCO DE MACACO

Design de Protetores de cockpit tipo ESCUDO

COCKPIT F1 BD