COMO FUNCIONA O DRS PASSIVO


Entenda melhor como funciona o DRS PASSIVO, um dispositivo explorado pela Lotus, Mercedes e Sauber no final de 2012, que deverá ser o grande destaque entre as equipes neste campeonato de 2013.

DRS PASSIVO


O ar que entra nas laterais da entrada de ar do motor, acima da cabeça do piloto ( seta vermelha), sai pelo duto no centro da pequena asa feixe sobre a base do aerofólio traseiro ( seta azul).

Quando o F1 chega a uma determinada velocidade, o ar é desviado por um dispositivo interno para cima, por dentro do poste central ( destacado em amarelo). Este joga o ar acelerado sob a asa superior ( setas laranja ), o que é somado ao ar que passa no centro do aerofólio traseiro e também é jogado para cima pela pequena asa feixe.

Certo, mas para que tudo isso?

Esse ar externo, juntamente com o ar do poste central, passam acelerados em baixo de toda a asa superior do aerofólio traseiro. Ar acelerado em baixo com ar em menor velocidade em cima cria o famoso efeito STOL, o que tira ainda mais a pressão aerodinâmica (downforce) de sobre a asa traseira. Menor pressão na traseira. mais velocidade, mais décimos de segundos ganhos por volta.

Então, o F1 que tiver esse dispositivo instalado, teoricamente ganhará mais velocidade nas retas e curvas de alta de cada circuito.

E é totalmente autônomo, não dependendo de nenhum acionamento externo para funcionar, apenas a velocidade do ar dentro do sistema ( dai o termo "passivo" ).

Sendo assim, desde quando esse dispositivo surgiu, os designers e engenheiros da F1 enfrentam um desafio, o de torna-lo o mais confiável possível, já que é algo complexo e difícil de ser projetado. Pois se o sistema é autônomo, existe o risco de ser acionado em momentos que não deveria, o que o torna um tanto perigoso durante as corridas.

Então, a equipe que conseguir torna-lo o mais seguro e confiável possível, provavelmente vai dominar o campeonato. Dai a corrida interna entre os designers e engenheiros de cada equipe, tais como Lotus, Mercedes e Sauber que já o usaram no passado, para superarem este desafio, e os concorrentes nesta temporada, é claro. 

E o Sr Adrian já estuda formas de instalar o DRS PASSIVO também nas RBRs, então é aguardar para ver quem leva a melhor neste campeonato. 

autor: Ubiratan Bizarro Costa
designer industrial automobilístico

contato@bizarrodesign.com.br

@biradesigner2


Comentários

VEJA TAMBÉM:

A teoria do possível "segredo" da asa traseira da Ferrari

MONOFORMULA BK

Estranho dispositivo no assoalho da Ferrari 2017

PCP TARGA

BICO FORCE INDIA 2017