Aberturas no bico da FORCE INDIA

A Force India tem apresentado um bom desempenho nestas últimas etapas do campeonato, acima ainda de equipes mais antigas e com nomes fortes como a Sauber e Lotus por exemplo. 
Mas o que mudou nesta segunda metade do campeonato? 
Claro que o motor Mercedes atualmente faz a diferença. Mas seria só isso? 


Uma das coisas mais evidentes nos carros da Force India seria o bico com aquelas aberturas, atualmente o bico mais estranho do grid.

No início do campeonato postei uma matéria justamente falando sobre as diferenças aerodinâmicas entre os bicos apresentados até então. 
Fiz testes básicos em CFD e constatei que aparentemente o bico da Williams seria o mais eficiente. 



E parece que isso se confirmou, pois se reparar bem, a grande maioria dos carros atuais no grid possuem praticamente o mesmo design de bico baseado no da Williams, menos o da FORCE INDIA. 



Então resolvi investigar melhor este design diferenciado. Modelei em 3D um bico baseado no da FORCE INDIA e testei no CFD. Constatei algumas interessantes particularidades que mostro abaixo.






Como teoricamente funcionam aquelas aberturas frontais?

Elas são largas na frente e levemente mais estreitas na parte de baixo do carro, formando pequenos tubos "venturi", efeito mais perseguido pelos engenheiros, que aliás projetaram os carros da F1 como sendo verdadeiros grandes tubos venturi, mas explico melhor este efeito em outra matéria.....

Isso faz com que captem mais ar frontal, afunilem e joguem o ar acelerado debaixo de todo o assoalho do F1, desembocando no difusor traseiro.
Resultado, ar acelerado passando sob o F1 diminui a pressão aerodinâmica, empurrando o carro para baixo grudando-o na pista ( = downforce ).

Mas a coisa não para por ai, para o efeito ser eficiente o ar precisa ficar colado percorrendo todo o chassi do F1. O que se denomina na aerodinâmica mais ou menos como: "evitar o descolamento da camada limite".
A grosso modo o termo se refere ao ar acelerado continuar o máximo de tempo possível passando "colado" pela superfície aerodinâmica, no caso, a parte de baixo do chassi do F1.

Isso muitas vezes se consegue com os chamados geradores de vórtices, mas explico melhor este dispositivo também em outra matéria.....

Voltando a questão, quando fiz a simulação pude observar a resposta.....repare nas imagens, a cor azul escuro indica o ar em baixa pressão, e mostra justamente uma mancha azul escuro praticamente grudada na parte de baixo de todo o chassi, saindo do bico até a inclinação para o assoalho do F1, Ai está a chave do efeito aerodinâmico, muito interessante e teoricamente eficiente.

Então esta é uma das melhores soluções do pacote aerodinâmico da FORCE INDIA, que vem dando resultados satisfatórios a equipe até aqui.

E pode ser que mantenham tal solução para o ano que vem, dependendo das mudanças do campeonato para 2016. Um pouco mais depurada e avançada, é claro.  Ou virão com outra solução mais engenhosa ainda, aguardemos para ver......

Autor: Ubiratan Bizarro Costa

contato@bizarrodesign.com.br



Comentários

  1. Olá, boa tarde! Eu me lembro que você explicou os bicos do ano passado, e chegou à conclusão que a solução mais eficiente seria à do estranho (e único) Lotus E22.
    Se não me engano, o único que você não avaliou foi o também exclusivo Caterham CT05. Se não for incômodo, gostaria que fizesse uma análise dele...
    Grato.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo grande conhecimento e curiosidade.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo grande conhecimento e curiosidade.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

VEJA TAMBÉM:

A teoria do possível "segredo" da asa traseira da Ferrari

PCP TARGA

Estranho dispositivo no assoalho da Ferrari 2017

Dispositivo ISB - Indy Speed Brakes

Design de Protetores de cockpit tipo ESCUDO

Reunião Charlie Whiting FIA em Interlagos 2016